terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Waly Salomão

.



acabei de assistir ao filme Pan Cinema Permanente, de Carlos Nader, sobre o poeta-provocador, personagem-performático Waly Salomão, Sailormoon, Marujeiro da Lua...

de tudo que vi, um poema marcou meus ouvidos, o mesmo que dá título ao filme. reproduzo-o abaixo em vez de comentar qualquer coisa.



PAN CINEMA PERMANENTE

para Carlos Nader


Não suba o sapateiro além da sandália
- legisla a máxima latina.
Então que o sapateiro desça até a sola
quando a sola se torna uma tela
Onde se exibe e se cola
a vida do asfalto embaixo
e em volta.









.

Um comentário:

josé geraldo disse...

wally vale
muito a pena
quando há alma
& não é pequena
é fonema